quinta-feira, novembro 25, 2010

A culpa não é do Fidel, é minha.

São mais de setenta carros queimados na cidade do Rio de Janeiro, hoje, final do dia 25 de novembro. Nenhum  morto - estranha essa notícia - 200 bandidos presos e mais """"600"""" no morro foragidos. Alguém se questionou, de verdade, sobre isso hoje? Com certeza. Os antropólogos, sociólogos e cientistas políticos, alguns jovens, alguns adultos interessados, em fim... uma grande minoria. 
Todos os twitts, salvo alguns, só reproduziram o mesmo discurso: a culpa é dos maconheiros, a culpa é do bope - com letra minúscula porque eu sou contra grande parte da sua política - a culpa é da população que APROVOU COM MAIS DE 65% o Governador, ah sim, ele também tem culpa. Eu apontei, além desses, outros culpados, mas percebi que a culpa é minha.
Sim, é minha! A CULPA É MINHA! Repita comigo, 02. Sim, a culpa é SUA. É DELE, é NOSSA. E quantas pessoas do discurso existirem...
Espero que hoje tenham queimado apenas carros e ônibus, e não as nossas esperanças. Não os nossos direitos, os nossos deveres , o nosso pudor a nossa cidadania. A complexidade da sociedade caminha em passos largos ao descaso. Cuidado, na maioria das vezes caminhamos junto com ela, se não formos nós que construímos seu caminho...
Assim como as disputas, as questões estão cada vez mais dividas e repartidas. Não temos uma grande causa , e sim pequenas grandes causas e com isso a culpa também se dividiu.
Queria ter mais propriedade sobre o que falo, queria saber escrever melhor... eu queria na verdade culpar o Fidel, mas ele, coitado, que só culpa os EUA, não recebe mais a total culpa pelos perigos do mundo.

12 comentários:

Maria Clara Niemeyer disse...

Eu te indicaria umas leituras que contemplam seu desejo de saber mais.
Dois estudiosos relevantes: Roberto Kant de Lima e Marcus Fabiano Gonçalves.

Mas, eu acho que, por enquanto, o seu caminho está bem interessante.

Luana Costa Barros disse...

É muito difícil analisar esse tipo de situação quando não se está por dentro, mas questionar é fundamental. Não adianta agora colocar a culpa em poucos, já que de certa forma realmente a culpa é de todos. Isso tudo é uma consequência histórica e é tolice ficar agora julgando quem tem que fazer o que, já que o que deveria ter sido feito há muito tempo atrás não foi feito. Fácil mesmo é ficar em casa assistindo TV e batendo palma pro circo que a mídia faz, e torcendo para que joguem uma bomba. Enquanto essa mentalidade não mudar, não chegaremos a lugar nenhum, já que a meu ver numa guerra desse tipo não há vencedores. Tá na hora de acordar pra realidade e parar com essa palhaçada pseudo-intelectual cultilóide.

ovo no asfalto disse...

Pessoas, muito complexo td isso...
Me ligaram diversas vezes em pânico hj: amigos, namorada, familiares. Criam um clima de medo desncessário para a sociedade, mas precioso para alguns grupos. Que grupos?
Bem, as mais interessadas são as empresas ligadas ao mercado imobiliário. Ou vcs acham q as UPP´s são para o bem da sociedade?
Elas serviram para a reeleição de Cabral, qu eteve uma campanha milionária. de onde veio essa grana Cabral? Mercado imobiliário e as empresas de transporte.
Pois é... Pior que a violência no RJ é o transporte. MONOPÓLIO da 1001!!! Tenta comprar passagem na rodoviária... Só eu sei o que passei ano passado pra trabalhar em Friburgo.
Bem, vou para por aqui senão daki a poco meu comentário tá maior que o post da gabi. Rs

Rodrigo Flaeschen disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rodrigo Flaeschen disse...

A primeira coisa que se faz quando se depara com uma situação dessas é procurar um culpado: o Governo, a policia, nós mesmos. culpados somos todos, e ninguem, ao mesmo tempo. O que vê na cidade nos ultimos dias é uma ação desesperada dos bandidos que estão cada vez mais sendo pressionados dentro de suas tocas. Impossível não citar Harvey Dent em Dark night: "A hora mais escura, é logo antes do amanhecer." Aliás, impossível não comparar o Rio de Janeiro a Gothan City. Temos vários coringas, só nos falta um batman.

Jaca disse...

É isso ae, são 00:36 de sexta feira e mais dois carros foram incendiados na Grajaú Jacarepaguá, para os desconhecidos, Av Menezes Cortes.
É complicado comentar sobre esses ataques, pois ao meu ver é um problema político, social, cultural e eu diria jurídico também. As leis não favorecem, a educação nunca foi levada a sério, o congresso virou cabide de emprego há anos, garantidor de aposentadoria para quem não sabe escrever e, talvez, esse seja um dos grandes problemas, localizado no DF, dividido em duas casas. Mas também não podemos nos excusar do problema, pois somos também parte dele, através da nossa omissão, do nosso egoísmo. Confio no secretário de segurança pública, José Mariano Beltrame, e acho que ele tem muito culhão para fazer o que está fazendo e da forma que está fazendo. Pois, se não for dessa vez, talvez o Jack Bauer de jeito.

Rosalia disse...

Gabi...vc é demais...rsrsrs

Fernanda disse...

ainda bem que o mundo dá voltas...

Felipe disse...

O negócio é que é muito fácil criticar quem está no poder, mas na verdade não tem muito o que fazer, não tem como você tomar as melhores decisões.

O que está acontecendo agora no Rio é sim essencial, as UPP's ajudam sim e muito, expulsando grandes traficantes, retirando o armamento pesado deles, pra quem é de classe média, que fica na segurança de sua casa a primeira coisa que vem na mente é que isso não resolve nada, que vão continuar traficando lá dentro.
Sim continuam, mas em menor número e não ficam mais na porta da sua casa te oferecendo drogas e não usam mais fuzis para isso.
A grande estratégia da UPP é diminuir a criminalidade principalmente a longo prazo, quando as crianças dessas comunidades não se espelharem mais no traficantes que ali residiam.

Claro que precisa-se mais do que nunca investir em educação, mas pelo menos já é um começo, a policia não precisa mais se esconder nesses locais. Uma criança que quer ser policial não precisa mais abandonar esse sonho pra poder ficar viva.

E digo mais, quem era contra a Copa do Mundo e as Olímpiadas no Rio agora está feliz da vida que estão invadindo favelas e construindo metrôs, mas não percebem que tudo isso é fruto desses eventos esportivos, aodne a evolução da cidade é quase que forçada.

O governador teve muito culhão pra autorizar tudo isso que está acontecendo, e nesse sentido bato palmas à ele. Parabéns Governador, Parabéns Secretário de segurança, Parabéns BOPE (com letra maiúscula)!!!

Felipe disse...

Só para finalizar, a UPP é sim um programa de segurança pública que deve ser levado com respeito e admiração, pois ela possibilita a entrada de serviços básico à população dessa localidade, mas para a UPP montar base em uma favela, esta tem que ter sido expurgada dos marginais, e ninguém no mundo faz melhor do que o BOPE.
Para dar base ao meu argumento de que a UPP e principalmente o BOPE deveriam ser motivo de orgulho, recomendo a visualização da entrevista do Rodrigo Pimentel enquanto ele aidna era do BOPE.
http://www.youtube.com/watch?v=h9Jngj99NlI&feature=related

Gabi disse...

Lipe, a UPP é um projeto de segurança sim,no entanto ela não tem agido na favela como deveria agir: de acordo com a sua essência. O que elas promovem é simplesmente um acordo com o poder paralelo local: " você continuam vendendo a sua droga e em troca vocês não assaltam ninguém, não molestam morador" além de ter funcionado como um excelente curral eleitoral devido a falsa sensação de que ela resolveu o problema local justamente por ter parado de nos incomodar. E ja que você deu o exemplo do Rodrigo Pimental, vamos lá. O filme tropa de elite, por mais que tenha sido inspirado no livro escrito por ele, nos remete - por mais que o Sérgio Cabral e sua corja diga que não, por estratégia - à uma realidade atual. Onde mostrou tudo que eu estou falando aqui... a UPP serviu como forma de institucionalizar a Milícia. Por mais que esse não seja o objetivo delas, elas estão funcionando assim. Sobre o enaltecimento da polícia ele deve ser promovido sim, e isso ja deveria estar sendo feito ha muito tempo. Os policiais são , também a outra ponta das vítimas do tão falado sistema. No entando , o BOPE , na minha opinião não deveria ser nem criado. Em vez de o governo gastar milhões para a criação de uma nova polícia, o que envolve muito dinheiro para a criação de novas cedes, novos funcionários administrativos, novos lugares de treinamento, eles deveriam ter concertado a merda de polícia que eles criaram. Porque a PM do rio de janeiro, na situação em que se encontra , é também uma criação dos governos estaduaias que nós tivemos. Deveriam ter dado as mesmas condições para a PM que deram ao BOPE. E eu não apresento aqui, os argumentos, que segundo você, são dos intelectuaizinhos de esquerda que se referem ao modo absurdo e desumano que essa polícia age. ( não me refiro a forma como agiram nessa última operação , pois pareceu-me , infelizmente, da forma como deveria ser feito )

Felipe disse...

É claro que a UPP não é um sistema perfeito, e talvez nem seja um exemplo de projeto de segurança, mas desde o ínicio estava claro que ela não era uma segurança instantânea, os resultados reais vão demorar para aparecer, pois o objetivo delas é diminuir a entrada de pessoas cada vez mais jovens no tráfico, pois eles só tinham como inspiração os traficantes, agora estes meninos tem a presença da polícia, tem médicos nas UPAS (eu sei que são uma merda), tem os professores, e assim de médio a longo prazo se espera acabar com a exaultação dos bandidos por parte dos jovens.
Acredito que você não tenha visto o vídeo que eu mencionei, pois nele mostra uma realidade que ficou muito sútil no filme (que é de ficção), o próprio "capitão nascimento" fala que o único braço do estado que entra nas favelas, quando o essencial deveria ser entrar a educação, a súde, o saneamento básico.
Concordo quando você diz que deveria se investir muito mais na PM do Rio, está claro que a Policia está toda fudida, mas discordo plenamente sobre a questão da criação do BOPE, pois sempre é necessário a presença de policias especializadas, em SP é o GATE, nos EUA é a SWAT, em Portugal é o GOE, no Rio é o BOPE, o problema é que ele é única polícia no mundo que entra em favelas com a eficiência que é vista, então acaba que eles são sempre requisitados para todas quase todas as operações.
Quando você menciona o modo absurdo que essa policia age, só te faço uma pergunta, o que vocÊ faria se vocÊ estivesse no território inimigo, em menor número e talvez em menor capacidade bélica, sabendo que se você afrouxar um pouco é você que morre, são os seus filhos que nunca mais iram te ver, é a sua mulher que vai ficar viúva?
Creio que você tenha escrito errado quando diz "pois pareceu-me, infelizmente, da forma como deveria ser feito", vocÊ não quis dizer 'felizmente'?

Postar um comentário